sábado, novembro 03, 2007

Há um vídeo no You Tube...

... em que americanos erram diversas perguntas de Geografia. No espaço dos comentários, o que há de brasileiro tirando sarro é uma enormidade. Eu deixei um, dizendo que no Brasil não seria diferente e fui execrado. Pois a Veja desta semana vem com uma matéria sobre como os brasileiros se saem nesse tipo de teste. Eis o que trouxe o Nova Corja:


Kadê u Braziu?

Da Veja que começa a circular hoje:

"E a gente ainda goza dos americanos...
Em matéria de conhecimentos geográficos, os brasileiros são de uma ignorância que não está no mapa

O Brasil tem quatro mecanismos federais de avaliação do ensino: o Saeb, o Enade, o Enem e a Prova Brasil, todos de padrão internacional. A cada vez que se divulga um de seus resultados, uma torrente de más notícias sobre a educação é despejada pelos jornais. Mas nenhum desses testes jamais captou um dado tão alarmante quanto o que surge da pesquisa Pulso Brasil, do instituto Ipsos, que acaba de sair do forno. Os pesquisadores abriram um mapa-múndi na frente dos entrevistados (1 000 pessoas, em setenta municípios das nove regiões metropolitanas) e lhes pediram que indicassem onde ficava o Brasil. Somente metade acertou. É isso mesmo: o levantamento mostra que 50% dos brasileiros não sabem localizar o país no mapa. Houve os que chutaram as respostas. Vieram desse grupo disparates de corar de vergonha. Para 2%, o Brasil fica na Argentina. Um porcentual pouco maior acha que o país se localiza na África – a dúvida é se no Chade ou na República Democrática do Congo. Outros 29% nem tentaram responder.

A pesquisa do Ipsos tem a força de um soco na boca do estômago nacional. Quase 10% dos entrevistados que passaram por uma faculdade (tendo completado ou não o curso) não sabem que o Brasil se localiza na América do Sul. Esse porcentual sobe para 30% entre os que fizeram o ensino médio (estágio em que um aluno deveria ter estudado geografia durante pelo menos seis anos) e aumenta para 50% entre os que iniciaram o ensino fundamental.

(...)

Previsivelmente, o desconhecimento em relação aos outros países é ainda maior. Só 18% dos brasileiros conseguem identificar os Estados Unidos e apenas 3% localizam corretamente a França. Quanto à Argentina, tão citada em piadas futebolísticas, 84% nem sequer desconfiam de que faz fronteira com o Brasil.

(...)

O dado irônico é que os brasileiros atribuem aos americanos uma grande ignorância em matéria de geografia. Gostam de dizer, em tom gaiato, que os gringos não têm a mínima idéia de como se divide o planeta. Não é bem assim. A mais recente pesquisa sobre o assunto mostrou que 86% dos americanos sabem exatamente onde fica seu país, 81% reconhecem o México, 54% a França e 47% a Argentina."

Por Walter Valdevino

5 Comments:

Anonymous Fabrício said...

Sanchotene, gostei do teu blog, queria saber o que tu acha de Portaluppi como treinador do Grêmio, abraços.

05 novembro, 2007 18:27  
Blogger lcportinho said...

veja é brabo Sancho! tipo de matéria idiota... tem de ver em que faixa cultural fizeram a tal pesquisa aqui e acolá.

06 novembro, 2007 00:18  
Anonymous Edmar said...

O Portinho tem razão em parte, pesquisa sem dados é difícil comparar.

Mas tendo a concordar com o Sancho no geral, há um folclore em torno da suposta ignorância do americano médio. Eu tenho certeza absoluta que o brasileiro médio é tão, ou mais inculto que eles.

06 novembro, 2007 08:56  
Blogger San Tell d'Euskadi said...

Porto,

É desnecessário saber a faixa cultural. Afinal, trata-se de um cálculo geral aproximado. Como diz o Edmar, é o cidadão-médio.

O problema americano - e europeu, de certo modo - é que o cidadão médio tem dinheiro. Se formos medir "poder de compra", o brasileiro com um nível equivalente do gringo deve ser mais culto. Daí, a imagem que temos deles. O problema que essa comparação é ridícula.

Se compararmos por faixa social, o que seria muito mais justo, a equivalência deve pesar em favor dos gringos.

06 novembro, 2007 10:17  
Blogger San Tell d'Euskadi said...

Fabrício,

Eu tenho medo de todo e qualquer treinador que não o Mano. A questão é simples. Não é fácil o ambiente do Olímpico e, mal ou bem, o Menezes já está adaptado. O nosso Departamente de Futebol é uma piada. O Odone e o Mano é que sustentam TUDO.

Corremos o risco, sem o Mano e sem o Odone (que também está para sair), de virarmos uma versão piorada e mais pobre do Internacional de 2007. E se eles quase namoraram com o rebaixamento este ano, já se percebe onde podemos parar...

Um abraço.

06 novembro, 2007 10:24  

Enviar um comentário

<< Home