quarta-feira, dezembro 06, 2006

3º) Mesmo Nas Noites Mais Frias

Acorrentado pelo destino que me deixou distante
Preso a uma vida seca, escura, incapaz de sonhar
A percorrer caminhos infelizes de trilhas errantes
Condenado, perdido, marcado. Sem ter como lutar.

O vento gelado do inverno corta fundo minh’alma.
Lembrando a marca que deixaste e não cicatrizou.
A chuva fina cai e congela meu corpo, com calma.
Sádica, só veio a recordar o mau que me enfeitiçou.

Quando tudo isso passa, é a tristeza que fica, só ela.
Com as lembranças do dia em que havia um sentido.
Para a vida. Com a tua presença, a pintar aquarelas.
O teu sorriso era a força para meu coração falido.

O mundo não se movia quando estava contigo.
Eras quem o movia, ao sabor das tuas vontades.
Hoje, descontrolada. A Terra sem rumo, castigo.
A maltratar paixões e amores, sem ter piedade.

A solução é a tua volta. Mas, onde estás, bandida?
Ah! Sorrindo, vivendo, condenando outro alguém?
Sem ao menos pensar em mim, em curar a ferida.
Que deixaste aberta e sofrida. Com saudades, também?

Me faltam teus olhos, minhas estrelas-guias.
Preciso tua boca, tua força em teus beijos
Me envolver em teu corpo e esquentar minha vida
Teu calor é a segurança que quero em batalha
Nessa luta diária que é resistir e viver, ser feliz
Acordar de manhã e saber que é a tua voz que diz:
“Vencedor é o homem que erra, que sabe que falha;
Mas que levanta quando cai, e mantém, sempre erguida,
A cabeça apontada em direção aos seus desejos.
Arranca as correntes e luta, mesmo nas noites mais frias”.

6 Comments:

Anonymous Marcos Cabral said...

SANchotene
TELLechea,
Esclareça por favor o que D'EUSKADI significa.
Estou surpreso com sua veia poética. Somos angustiados com as possibilidades e com o poderia ter sido diferente.
Grande abraço e parabéns.
Marcos Cabral

06 dezembro, 2006 10:20  
Anonymous Marcos Cabral said...

Retificando,
Angustiados com o que poderia ter sido diferente.

06 dezembro, 2006 10:33  
Anonymous Edmar said...

Tenho as mesmas dúvidas e observações do Cabral...

06 dezembro, 2006 11:58  
Blogger San Tell d'Euskadi said...

Cabral, obrigado pela palavras.

Saciando a vossa dúvida, "D'Euskadi", a grosso modo já que a expressão não existe, significa "da Pátria Basca".

Um abraço.

06 dezembro, 2006 13:13  
Anonymous JS said...

Tá faltando grossura neste blogue.
É muito marmanjo sensível comentando. Se o Sancho não conceder espaço ao Analista de Bagé, cuidarei eu mesmo de aplicar uns joelhaços nesses chicobuarquianos.

10 dezembro, 2006 17:52  
Anonymous Ricardo Gomes said...

Sancho, bien sabes que los bascos, así como los catalanes, son en verdad TODOS ESPAÑOLES! Hoy, más que nunca, somos todos españoles de Catalunya! Encontrei uma guria basca em Madrid, e comentei: voces querem mais autonomia, não? ela, indignada: autonomia no! Independencia!
Já vi que tu é bem basco mesmo, heheheh

15 dezembro, 2006 13:18  

Enviar um comentário

<< Home