sexta-feira, dezembro 08, 2006

4°) corAÇÃO

O coração segue seu ritmo. Bater.

No peito. Sofrer. Defeito.

Amor. Perfeito. Vencer.

Sem medo. A dor. Brinquedo.

A vida. Partida. Pedaços.

Beijos. Abraços. Caminho.

Avanço. Sozinho. A morte.

Faz forte. Não há fim.

Sempre assim.

Insaciável, idealizador, utópico, perdido.

Te quero. Te desejo.

Te admiro. Te desconheço.

Não reconheço. Nem final, nem começo.

A fúria. Das batidas. Do coração.

Que é meu.

Mas to entrego, se quiseres.

A mente.

Ciente. Consciente. Presente. Domina.

Mas não controla. A emoção.

Que se sente e não se explica.

Que se sofre e que suplica.

O amor teu.

7 Comments:

Anonymous Chuck said...

Ae Paulinho...
Eu li aquela parte q tu diz ficar irritadico. Mas tem certeza q nao eh por causa do calor?
Domingo passado Porto Alegre parecia Fortaleza ... nao acha? HAHAHAHA
Grande e saudoso abraco cara!

08 dezembro, 2006 20:41  
Anonymous JS said...

Ode ao ponto. Ponto.

09 dezembro, 2006 08:26  
Blogger San Tell d'Euskadi said...

Foi para compensar o primeiro poema que não tem ponto algum, Santana...

09 dezembro, 2006 08:39  
Blogger San Tell d'Euskadi said...

O calor é uma agravante, Brinquedo. Mas em fevereiro o calor continua, só que com futebol. Bem melhor, não achas?

09 dezembro, 2006 08:40  
Anonymous JS said...

Poema sanchotênico. Na forma. No conteúdo, santânico.

Chove.
Muito.
Sem parar.
Fina e peneirada chuva.
Alma encharcada.
Gramado escorregadio.
Contemplo.
Imagino possibilidades.
Carrinhos perigosos.
Crimonosos até.
Dignos de cartões vermelhos.
Em canela emplumada.
Em cabeça petista.
Se em petista-emplumado, melhor ainda.
Mata-se,com um só, ave e roedor.
Maldade fugaz.
Volto à civilidade.
Chove.
Muito.
Sem parar.
Finos e peneirados sentimentos.
Leio Sancho.

09 dezembro, 2006 08:41  
Blogger San Tell d'Euskadi said...

Santana,

Pobre genro. Não só o Tarso...

09 dezembro, 2006 10:23  
Anonymous Chuck said...

Eh verdade.
Ateh lah, espero estar com a sexta estrela.

11 dezembro, 2006 00:26  

Enviar um comentário

<< Home