segunda-feira, fevereiro 26, 2007

Fim dos 100%

O excesso de zelo do Grêmio, ontem, em Cachoeira do Sul foi o maior responsável pelos primeiros pontos perdidos na temporada.

Além de poupar os onze titulares, Mano ainda deixou de fora dois reservas - B. Telles e Ramon. Havia três segundo-reservas em campo! O resultado foi uma equipe, além de desentrosada, mal posta taticamente. Só serviu para queimar os nossos guris.

O time que empatou em 1 a 1 contra o G.E. São José foi: Galatto; Jucemar, W. Thiego, Pereira e Teco; Nunes, Sandro, W. Antunes e Adílson (Itaqui); Aloísio e Éverton.

No gol, Galatto não foi exigido. Sofreu um gol de pênalti, que não foi, mas qualquer juiz daria. A bola bateu no braço do Pereira, ele não tinha intensão, como manda a regra. Mas, a bem da verdade, o braço dele não deveria estar ali, atrapalhando a jogada...

Na defesa, havia dois terceiro reserva: W. Thiego (não relacionado na Libertadores) e Teco, este como lateral-esquerdo. O resultado foi muito desentrosamento; Teco inutilizado, sem saber apoiar e sem ter a quem marcar. Para complementar, Jucemar jogou abaixo da crítica. Com três centrais em campo, mesmo que com Teco deslocado, poderia ter se soltado mais. Como Nunes jogou de cabeça-de-área, fixo à frante da zaga, isto significa que o Grêmio jogou com 4 jogadores fixos atrás CONTRA O PIOR ATAQUE DO ESTADUAL! E ainda levou um gol...

No meio, jogaram quatro volantes. Nunes, Sandro, W. Antunes e Adílson. Além de Nunes, plantado, Sandro e W. Antunes têm como maior característica a marcação. De Adílson pouco se viu, pois saiu contundido aos 20' do 1º tempo. Em seu lugar, entrou Itaqui (não relacionado na Libertadores), irmão daquele Itaqui que jogou no Grêmio ao final da década de 90. O guri, originalmente lateral, pode jogar de meia; foi um dos melhores do time em campo.

Na frente, pouco se viu, pois pouco a bola chegou. Mesmo assim, Aloísio conseguiu empatar a partida.

O gramado era ruim e fazia muito calor, mas isso não é desculpa. Não faltou só futebol ao Grêmio, mas um tesão maior para vencer a partida. Mano ficou insatisfeito com o rendimento do time, mas ele começou-o escalando mal. Ele deu o recado do que ele queria e os jogadores lhe entregaram o empate.

Justo!

2 Comments:

Blogger lcportinho said...

Eu sempre achei que não é assim que se lança guri (prata da casa) no time. Colocar um bando deles para enfrentar competicoes oficiais é o mesmo que jogalos na jaula dos leões e trancá-la a sete chaves. Tem de mesclar 1 ou 2 com os "nego véio", aí sim... O Inter tá fazendo isso com o Maicon, que já mostra evolução.

02 março, 2007 11:44  
Blogger San Tell d'Euskadi said...

Agora com as lesões, estamos colocando-os na Libertadores. Quando vencemos em 1.995, o Paulo Nunes, com menos de 25, era "experiente"! Mas foi exceção...

04 março, 2007 18:59  

Enviar um comentário

<< Home